Política e Políticos: Erros, Causas e Consequências


Mesmo sendo bem recebido pela maioria dos eleitores, noto que o descrédito com que eles tratam a política e os políticos alcançou níveis preocupantes. Ouço com frequência e atenção relatos desses eleitores insatisfeitos e decepcionados com os candidatos que eles ajudaram a eleger. Por que isso acontece com frequência cada vez maior? Os candidatos estão mais mentirosos, mais incompetentes, mais corruptos, ou existem outros fatores, além desses, que contribuem para esta quase generalizada decepção?

Não acredito que a maioria dos candidatos, independentemente do cargo que pleiteiam, seja mentirosa, incompetente e corrupta. Existem vários fatores, além desses, que fazem com que a maioria das promessas políticas não saia do papel. A tal “vontade política”, ou seja, a falta que ela faz, é uma forma de impedir que promessas, vontades, desejos e compromissos sejam realizados. A falta da vontade política é consequência de vários fatores.

Um dos fatores que mais contribui para a inércia, a baixa produtividade e a baixa qualidade de grande parte dos serviços públicos prestados aos cidadãos é a obsolescência da máquina pública e a sua descontinuidade administrativa: muda tudo a cada nova eleição. As estruturas organizacionais do poder público não evoluíram. Os sistemas operacionais são arcaicos, os orçamentos são peças de ficção e o aprimoramento continuado dos servidores públicos não existe. O uso intensivo da tecnologia da informação ainda é um sonho. Isso no campo administrativo.

No âmbito político, a complicação é ainda maior. Os poderes da república, que deveriam ser harmônicos e independentes entre si, na realidade não são. Esta decantada independência, simplesmente não existe. O Poder Executivo, nos três níveis da federação (União, Estados e Municípios), subjuga os demais: Legislativo e Judiciário. Isso leva a barganhas políticas, o toma-lá-dá-cá, que acarreta na aniquilação do poder subjugado e na corrupção.

O resultado disso tudo leva a inoperância, a incompetência, a baixa produtividade, ao desperdício, tão comuns nos serviços públicos. O resultado final é a decepção e o desencanto do eleitor para com a política. O político eleito passa mais tempo barganhando favores do que trabalhando em prol da sociedade. Resultado: as promessas feitas aos eleitores são esquecidas. Portanto, antes de escolher e votar em algum candidato, se certifique se ele tem a exata noção desses problemas e se está disposto a mudar este quadro. Avalie se ele tem conhecimento técnico, vontade e competência para mudar este sistema político pernicioso que emperra o desenvolvimento do país e lava ao descrédito a política e os políticos. Tenho a exata noção da gravidade desses problemas e da necessidade de elegermos políticos que tenham competência para mudar para melhor esta preocupante situação. Neste quadro que ora apresento, a maior vítima é o cidadão, é você, meu caro eleitor. Sávio Neves/Candidato a Deputado Federal.

Por: Sávio Neves

© Sávio Neves. Todos os direitos reservados.