Ato a favor da vida no Cristo Redentor




Na próxima quinta-feira, 2 de agosto, às 15h, a Arquidiocese do Rio de Janeiro e a Presidência do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) farão um ato em atenção à vida, no Corcovado. O Arcebispo Metropolitano e presidente do Regional Leste 1 da CNBB, Cardeal Orani João Tempesta, seus bispos auxiliares e vigários episcopais se colocarão aos pés do Cristo Redentor em oração pela defesa da vida no Brasil. À noite, a partir das 18h, o Monumento também receberá iluminação na cor branca e projeção da palavra “vida”, com o objetivo de que a reivindicação de tantas pessoas contrárias ao aborto chegue até Brasília — local em que, nos dias 3 e 6 de agosto, 40 participantes selecionados pelo Supremo Tribunal Federal vão apresentar suas posições na audiência pública que vai discutir a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação, tema enfrentado na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442.


Esperamos que o nosso clamor chegue até Brasília, onde, no dia seguinte, começarão a ouvir as pessoas nessa discussão, que já foi decidida pelo Congresso Nacional, e que, maldosamente, querem fazer entrar por outra porta em nosso país, alertou o Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta.


No mesmo horário do ato diante do Cristo Redentor (15h), os sinos das igrejas no Rio de Janeiro também irão repicar e todos os fiéis estão convidados a usar roupas brancas e a rezar em suas comunidades e paróquias nessa intenção, para que os corações se comovam diante dos gritos de tantos inocentes ameaçados de condenação à morte.


A iniciativa da Arquidiocese do Rio está em unidade com o posicionamento assumido pelos bispos do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) — que abrange todo o Estado do Rio de Janeiro —, que publicaram, na manhã da última quinta-feira, 26 de julho, uma mensagem se manifestando em face da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental 442/2017 (ADPF 442). No documento, os prelados reafirmam a posição clara da Igreja: “Explicitamente manifestamos nosso irrenunciável compromisso com a vida desde a concepção até a morte natural, com especial atenção à vida mais fragilizada, que, no caso em questão, é a vida do nascituro”. O episcopado exorta ainda que os católicos e todas as pessoas que desejam um país democrático, pacífico e protetor da vida se posicionem contrários ao que está sendo proposto através da presente medida judicial.

© Sávio Neves. Todos os direitos reservados.